Declarações



[versão impressa]

Tratamento da semente e o consumo de “baby leaves” ou brotos

A licença para tratamento das sementes aplica-se a todo o ciclo de produção da espécie.  Quando os produtos são colhidos para o consumo numa fase jovem (“baby leaves” ou brotos), deve-se levar em consideração o prazo de carência das substâncias utilizadas.


Xanthomonas campestris pv. campestris

A Bejo testa todos os lotes de sementes de suas cultivares de brássicas para a presença de Xanthomonas campestris pv. campestris, causadora da podridão negra. Apenas lotes considerados livres de Xanthomonas campestris pv. campestris  são comercializados.

Declaração do não uso de OGM (Organismos Geneticamente Modificados)

Todas as cultivares Bejo indicadas em nosso site e em nosso catálogo são obtidas através de métodos tradicionais de melhoramento genético. Não dispomos de nenhuma cultivar geneticamente modificada para uso comercial.

Prestação de informações

1. A Bejo não poderá ser responsabilizada por informações que tiver prestado por qualquer meio, ao comprador.
2. É de exclusiva responsabilidade do comprador aferir se as mercadorias são adequadas ao cultivo por ele pretendido ou se são compatíveis com as condições locais de seu plantio.
3. Com relação às informações prestadas pela Bejo, é preciso ressaltar que existem diversos níveis de especificidades nas relações entre plantas e pragas ou agentes causadores de doenças (patógenos). A identificação de tais especificidades geralmente requer o uso de métodos analíticos altamente sofisticados. Identificar se uma planta pode ou não ser afetada por uma praga ou por um patógeno pode depender do método analítico empregado na análise.  É importante, de modo geral, enfatizar que pragas e seus elementos causadores podem se modificar ao longo do tempo e do espaço, dependendo dos fatores ambientais, e da ocorrência de novas variantes de pragas ou de agentes causadores, capazes de vencer resistências, que podem surgir. Assim sendo, define-se:
4. Imunidade: não sujeita ao ataque ou infecção por um patógeno ou praga específica.
5. Resistência: a habilidade de uma planta para restringir o crescimento e desenvolvimento de um patógeno ou praga específica e/ou o estrago por esse causado, quando comparada com cultivares suscetíveis, sob semelhantes condições ambientais e semelhante nível de pressão por parte dos agentes causadores.
6. Cultivares resistentes podem exibir alguns dos sintomas ou estragos da praga, sob elevada pressão do agente causador. Dois níveis de resistência podem ser definidos:
7. i. Alta resistência (AR): cultivares que restringem fortemente o crescimento e desenvolvimento de um agente causador ou praga específica sob pressão normal deste agente ou praga, quando comparada com variedades suscetíveis. Essas cultivarespodem, porém, apresentar alguns sintomas ou estragos sob elevada pressão do agente causador.
8. ii. Média resistência (MR): cultivares que restringem o crescimento e desenvolvimento de um patógeno ou praga específica, mas que podem exibir sintomas ou estragos em uma escala maior, quando comparadas com cultivares altamente resistentes. Cultivares com média resistência terão sintomas ou estragos menores que cultivares suscetíveis, quando expostas a condições ambientais e pressão do agente causador similares.
9. Suscetibilidade: a inabilidade de uma cultivar para restringir o crescimento e o desenvolvimento de uma praga específica ou patógeno.


Pedidos

Por favor, faça seus pedidos dentro do prazo hábil de entrega e de forma clara quanto à escolha da cultivar, apresentação do produto e, se aplicável, com o calibre de sementes que você deseja. Depois de entregues, a Bejo não aceita devolução de sementes.


Inicio Declarações